sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Entrevista - Renata Martins

Pessoal, há muito estou devendo a entrevista com a querida Renata Martins, autora de "Adolescente, Alguém te entende" (Veja a resenha aqui). Hoje, com muito prazer, posso postá-la aqui.
Obrigado a quem esperou, e quem não esperou, espero que gostem também.



1.                  D. L. - Como surgiu a Renata escritora?
R. M. - Acredito que a Renata escritora sempre tenha existido dentro de mim, já que sempre gostei muito de escrever.  Era tudo meio que de brincadeira, como um desabafo, ou sem maiores pretensões. No entanto a fim de ter uma profissão para conciliar com o papel de mãe, comecei a escrever.  E então, algo antes adormecido, já que fazia tempo que não escrevia, reascendeu como chama ardente em meu peito, e quando me vi já estava lançando meu primeiro livro.
 2.     D. L. -  Quais foram algumas das dificuldades que teve pelo caminho? Em quem confiou nesse momento tão difícil?
 R. M. - Em todos os momentos da minha vida, sempre confio em Deus. E em todas as dificuldades que tive em meio à caminhada, por mais que doessem um pouco, não me impediram de buscar sempre a minha vitória. E hoje realmente vejo que valeu a pena.  Nada na vida que é conquistado sem esforço tem o mesmo sabor, do que quando você luta e vence, o sabor da vitória é realmente maravilhoso.
 3.       D. L. - Quais sãos as dificuldades de ser uma escritora independente? Preferiria ter uma editora?
R. M. - Bom, não posso dizer que tive muitas dificuldades, no entanto nem todas as portas são abertas para autores independentes. Existem os dois lados da moeda. Não vejo problemas em ser um autor independente, mas quando não se é conhecido, uma editora abre realmente muitas  portas principalmente na hora da venda. Hoje já estou praticamente em uma Editora, em breve poderei contar essa novidade.
 4.   D. L. -    Na hora das críticas, prefere as verdadeiras que te dão mais experiência, ou as falsas que te fazem feliz?
 R. M. - Ah, com certeza prefiro a verdade.  Ainda mais que estou aprendendo,  e tenho certeza que críticas construtivas irão apenas acrescentar em meu trabalho.
 5.       D. L. - Qual seu livro preferido e por quê?
R. M. - Meu livro preferido é a Bíblia. Mas também gosto muito dos livros do Augusto Cury, e da escritora que sou fã, admiro muito mesmo, que é a Lycia Barros.
 6.      D. L. - Quando recebeu “Nãos” de editoras, pensou em desistir?
R. M. - Na verdade, qualquer “Não” que recebemos na vida dói um pouco. Confesso que em alguns momentos  achei que jamais conseguiria publicar o meu livro. Mas dentro de mim existia uma certeza, de que por mais difícil que fosse, por mais que demorasse, eu iria conseguir. Portanto, em desistir jamais pensei. 
 7.      D. L. - Quais são os trechos dos seus livros que mais te empolgam e por quê? Coloque-os aqui.
R. M. - “E quando passar pela sua cabeça que ninguém lhe entende, que ninguém sabe o que está sentindo ou passando, que ninguém nunca sofreu como está sofrendo, lembre-se sempre:  ALGUÉM TE ENTENDE.”
Gosto muito dessa parte, pois muitas vezes, quando em meio a uma situação difícil achamos sempre que estamos sós, que ninguém nunca sentiu o que sentimos, sofreu, pensou. Mas mostro que existe alguém que entende tudo por que passamos, e nunca nos deixará.
" (...) Antes de toda vitória são necessárias algumas lutas, algumas batalhas; caso contrário, não valorizamos o bem que recebemos. Precisamos ter coragem de enfrentar os gigantes que aparecem em nossas vidas e derrotá-los. Com fé e confiança, como fez Davi, derrubamos qualquer Golias em nossas vidas. Mas é necessário fazer a nossa parte - estudar, aperfeiçoar os dons e talentos que Deus nos deu. É necessário ter dedicação, comprometimento, humildade, sabedoria e, na maioria das vezes, coragem, muita coragem.
Quando entregamos as nossas vidas nas mãos do Senhor, Ele nos honra (...) "
  8.       D. L. - O reconhecimento de escritores nacionais ainda não é muito grande. Espera ter muitos fãs, como escritores internacionais (e aqui posso citar J. K. Rowling e Rick Riordan, que escrevem para adolescentes)?
R. M. - Bom,  se eu conseguir transmitir a minha verdade, os meus sentimentos, e mudar um pouquinho que seja a vida de alguém, meu desejo terá sido realizado. Não preciso de fama, mas se o meu trabalho for reconhecido, vão valer à pena todos os esforços até aqui.
 E aqui ficam os sinceros agradecimentos à Renata Martins, por ter concedido esta entrevista maravilhosa.

O Dia de Leitor não se esquecerá disso. :) =D

4 comentários:

Marcia Rubim disse...

Muito bom conhecer um pouquibho mais da Renata Martins! Tenho certeza de que o livro dela será um sucesso!!!
Parabéns pela entrevista! Ficou showwww!
Bjsss

Entre Dois Mundos disse...

Olá! Parabéns pela entrevista Kaio! Quando se faz boas perguntas temos também boas respostas...

Um beijo, Lígia Miraglia.

Escritora Renata Martins disse...

KAio, obrigada por seu carinho tá!!!
Adorei essa entrevista com você!!!
BJS!!

Alana Homrich disse...

Oi, tudo bem?
Adorei a entrevista. Confesso que não estava esperando lê-la, mas gostei bastante das respostas da Renata. Espero que a sua obra seja um sucesso, e gostei de saber que ela nunca pensou em desistir, por mais que seja difícil publicar um livro.
Beijos!
alanahomrich.blogspot.com.br

Postar um comentário

Template by:

Free Blog Templates